Cia Artesãos do Corpo  (Foto: Fábio Pazzini)
10º Visões Urbanas - Festival Internacional de Dança em Paisagens Urbanas, realizado pela Cia Artesãos do Corpo em São Paulo.  (Foto: Fábio Pazzini)
10º Visões Urbanas - Festival Internacional de Dança em Paisagens Urbanas, realizado pela Cia Artesãos do Corpo em São Paulo.  (Foto: Fábio Pazzini)
10º Visões Urbanas - Festival Internacional de Dança em Paisagens Urbanas, realizado pela Cia Artesãos do Corpo em São Paulo.  (Foto: Fábio Pazzini)
10º Visões Urbanas - Festival Internacional de Dança em Paisagens Urbanas, realizado pela Cia Artesãos do Corpo em São Paulo.  (Foto: Fábio Pazzini)
10º Visões Urbanas - Festival Internacional de Dança em Paisagens Urbanas, realizado pela Cia Artesãos do Corpo em São Paulo.  (Foto: Fábio Pazzini)
10º Visões Urbanas - Festival Internacional de Dança em Paisagens Urbanas, realizado pela Cia Artesãos do Corpo em São Paulo.  (Foto: Fábio Pazzini)
10º Visões Urbanas - Festival Internacional de Dança em Paisagens Urbanas, realizado pela Cia Artesãos do Corpo em São Paulo.  (Foto: Fábio Pazzini)
10º Visões Urbanas - Festival Internacional de Dança em Paisagens Urbanas, realizado pela Cia Artesãos do Corpo em São Paulo.  (Foto: Fábio Pazzini)

ESTRANHOS SERES NEBULOSOS E ILUSÓRIOS

Criação livremente inspirada na série de fotografias “Escultura do inconsciente” do fotografo Tatewaki Nio. Em meio ao caos, Nio captura paisagens suspensas no tempo, aparentemente desocupadas, repletas de sombras, de sobras, de texturas atemporais e de inacabamentos.

Atravessados pelo vento, pelos sons, pelo fluxo de pessoas, pelo cimento, pelo desmonte, pela destruição de horizontes a Cia Artesãos do Corpo esteve 4 meses em residência na Praça das Artes criando, nesse ambiente de muitas camadas, imagens, aparições, movimentos até surgirem, envoltos em uma cidade que os abriga, Estranhos seres nebulosos e ilusórios

Os intérpretes buscam um corpo cênico que dialogue com as idéias de demolição, implosão, desconstrução, ocupação, despejo e deslocamento, em uma paisagem impermanente feita de memórias, sombras, vestígios e ausências. Porque ao final, mesmo que o pior aconteça, será esquecido e os que nada sabem sentarão na grama que um dia foi palco de luta para apreciar o céu.

ASSISTA AO VÍDEO NO YOUTUBE
fotos: Fábio Pazzini