A Companhia

 foto esni - diogo soares

Direção | Mirtes Calheiros
Intérpretes | Dawn Fleming, Ederson Lopes, Fany Froberville, Hiro Okita, Leandro Antonio e  Mirtes Calheiros 
Pesquisa Musical e sonoplastia | Marcelo Catalan
 Luz | Carlos Gaucho
Fotos | Fábio Pazzini
Arte gráfica | Bruno Pucci
Artistas e pesquisadores colaboradores | Michiko Okano, Diogo Soares e Toshi Tanaka

Criada em 1999, pela socióloga e bailarina Mirtes Calheiros a Cia. Artesãos do Corpo é formada por bailarinos, performers, atores e pesquisadores de artes cênicas, com o objetivo de elaborar espetáculos e intervenções que provoquem a sensibilidade e a consciência do espectador para temas de interesse no mundo contemporâneo.

Utilizando o palco e locais não convencionais como espaços de atuação a companhia desenvolve uma pesquisa focada na diluição das fronteiras entre dança-teatro-performance e na investigação urbano coreográfica dos processos de influência, alteração e diálogo entre o corpo e a cidade.

Tendo com premissa a diversidade e a pluralidade na formação de seu elenco a companhia leva ao palco a cada novo trabalho um mosaico de referências estéticas e de percepções corporais distintas, criando inúmeras possibilidades coreográficas a cada tema proposto.

Atualmente a companhia dedica-se a pesquisa de estados físicos e meditativos que estimulem o intérprete à criação cênico-coreográfica a partir de situações de presença e sua posterior ressignificação para a cena. Para essa pesquisa temos como suporte diferentes abordagens de treinamento e percepção corporais orientais (aikido, yoga, tai chi, chi kung, sei-tai-ho), esse treinamento tem como objetivo afinar o corpo preparando-o para a criação. Essa nova etapa vem sendo construída em uma perspectiva do caminho, buscando entender o corpo em constante processo de construção e desconstrução. A partir desse olhar buscamos não só diluir as fronteiras entre linguagens, mas também entre arte e vida cotidiana.

A experimentação contínua dos princípios de Rudolf Laban; a diluição das fronteiras entre dança, teatro e performance; a improvisação e a criação em ato; a dança em paisagens urbanas; o tripé antropologia-dança-cidade,  são linhas de pesquisa que a companhia desenvolve e investiga desde sua criação.

As criações da Cia. Artesãos do Corpo já foram apresentadas em 3 continentes e em 8 países (Argentina, Alemanha, Bélgica, Chile, Costa Rica, França, Itália e Portugal).

A companhia desenvolve anualmente desde 2006 o Festival Internacional de Dança em paisagens urbanas Visões Urbanas com o objetivo de criar mecanismos criativos de intervenção da dança no cotidiano da cidade, esse festival integra a rede CQD – Cidades que Dançam (www.cqd.info).

ENGLISH VERSION: Created in 1999, by sociologist and ballerina Mirtes Calheiros, Artesãos do Corpo Co. is made up of dancers, performers, actors and scenic arts researchers, with the goal of creating presentations and interventions that arouse the spectator’s sensitivity and consciousness towards themes of interest in the contemporary world.

Making use of stages and non-conventional places for acting, the company develops a research focused on the dilution of boundaries between dance-theatre-performance and also on the urban-choreographic investigation of influence, alteration and dialogue between body and city.

Having as premiss the diversity and plurality in forming its cast, the company takes to stage, at every new work, a mosaic of aesthetical references and distinct corporal perceptions, creating countless choreographic possibilities from each theme proposed.

Nowadays the company is aiming at the meditative and physical states, which stimulates the scenic and chorographical from situations that involve presence and its reframe in the scene. This research is supported by different trainings approaches and body perception from the eastern world (aikido, yoga, tai chi, chi kung, seita-ho). These trainings fine-tune the body and prepare it for the creation. This new step has been built from a perspective of the path, trying to understand the body in the process of building and being built. From this point of view we not only try to fade the borders between languages but also between art and everyday life.

Continuous experimentation of Rudolf Laban’s principles; dilution of boundaries between dance, theatre and performance; improvisation and creation during the act; dance in urban landscapes; the anthropolgy-dance-city tripod: these are the research lines the company develops and investigates since its creation.

The creations of Artesãos do Corpo Co. have been presented on 3 continents and in 8 countries (Argentina, Chile, Costa Rica, Belgium, Portugal, Germany, France and Italy).

Since 2006, the company develops annually the Urban Visions – Dance in Urban Landscapes International Festival with the goal of bringing about creative mechanisms of intervention of dance in the city everyday life. This festival is part of CQD network (Cities that Dance – www.cqd.info).